Skip to main content
PAD

O que é doença arterial periférica (DAP)?


A doença arterial periférica (DAP) é uma doença que afeta as artérias que enviam sangue para o corpo, mais comumente restringindo o fluxo sanguíneo para as pernas.9

Artérias são vasos sanguíneos que transportam o sangue do coração para o resto do corpo.9 A doença se desenvolve pelo acúmulo de colesterol e tecido cicatricial nas artérias, causando seu estreitamento.2 Quando a placa, formada pelo acúmulo de colesterol e tecido cicatricial, bloqueia o revestimento da artéria, causa a diminuição do fluxo sanguíneo, o que comumente é denominado aterosclerose.2 A restrição do fluxo sanguíneo limita o transporte de sangue, oxigênio e nutrientes para os braços e pernas.9

PAD Infographic
 

Download de PDF

Causa

A causa mais comum de DAP é aterosclerose. Esse endurecimento das artérias pode ser agravado por tabagismo, diabetes, pressão arterial elevada, colesterol elevado ou fatores hereditários.9

Sintomas

O sintoma mais comum de DAP é claudicação intermitente – fadiga, dor ou desconforto nos músculos das pernas durante atividade física que desaparece imediatamente com repouso. A dor ocorre porque as artérias com coágulos restringem o fluxo do sangue para os músculos que estão trabalhando.9

Outros sinais comuns de DAP são:3,4

  • Queimação ou dor nos pés e dedos dos pés
  • Cãibras dolorosas nas pernas
  • Dormência, fraqueza ou sensação de peso
  • Sensação de resfriamento da pele das pernas ou dos pés
  • Pé diabético
  • Perda de pelos
  • Feridas crônicas
  • Gangrena

Os sintomas de DAP não estão necessariamente presentes nos estágios iniciais da doença. Seu corpo poderá inicialmente criar uma tática para solução do problema criando pequenas artérias alternativas que "redirecionam" o sangue em torno do vaso afetado.8 Essa é somente uma solução temporária e a DAP não tratada pode estar associada a um risco elevado de ataque cardíaco ou derrame.1

Fatores de risco

Os fatores que aumentam o risco de você desenvolver doença arterial periférica incluem:6

  • Tabagismo
  • Diabetes
  • Obesidade (índice de massa corporal (IMC) acima de 30)
  • Pressão arterial elevada
  • Colesterol elevado
  • Envelhecimento — a DAP é cada vez mais provável de ocorrer depois dos 50 anos
  • Etnia
  • História familiar de doença arterial periférica, cardiopatia ou derrame

Diagnóstico

Muitos adultos aparentemente não têm sintomas de DAP ou erradamente atribuem a dor que sentem ao sacrifício normal do envelhecimento e não a informam ao médico. Como resultado, a DAP pode permanecer sem diagnóstico.7 Portanto, sempre é importante fazer exames, principalmente se você apresentar risco de doença arterial coronariana, tiver dor nas pernas quando caminhar ou se tiver úlceras nas pernas ou nos pés.7 Na maioria dos casos, seu médico fará o diagnóstico usando os seguintes métodos:

Exame físico e histórico de doenças

Seu médico provavelmente realizará um exame físico para verificar a pulsação nos seus pés e pernas; investigará a ocorrência de pressão arterial elevada, anormalidades cardíacas e bloqueios nas artérias do pescoço; verificará a ocorrência de alterações de cor, úlceras, infecções ou lesões nas pernas e nos pés. É possível que exames adicionais sejam solicitados se algum desses quadros estiver presente. Informe seu médico quanto a sintomas, histórico clínico anterior, histórico clínico familiar e fatores de risco que você possa ter para doença arterial coronariana e DAP.2

Medições do fluxo sanguíneo (ITB)

O ITB (índice tornozelo-braquial) é um teste comum para a detecção de DAP, pois pode ajudar a diagnosticar a doença em pacientes que podem ou não apresentar sintomas. Ele funciona pela comparação da pressão arterial dos tornozelos com a dos braços.2 A DAP também pode ser diagnosticada por outros testes que medem o fluxo sanguíneo e a pressão arterial, como o teste de pressão segmentar para as pernas, o índice hálux-braquial (IHB) para os dedos dos pés ou uma ultrassonografia com Doppler para verificação do fluxo sanguíneo nas artérias.5

Angiografia

Seu médico poderá decidir fotografar suas artérias para verificar se existe restrição ao fluxo sanguíneo. A angiografia com contraste é um procedimento clínico que obtém imagens radiográficas dos vasos sanguíneos para que o médico possa observar estreitamentos ou bloqueios. Isso pode ajudar o médico a determinar se um determinado procedimento clínico é adequado para seu caso.2


Referências

  1. About Peripheral Artery Disease (PAD). (2016, November 17). Retrieved from http://www.heart.org/HEARTORG/Conditions/VascularHealth/PeripheralArteryDisease/About-Peripheral-Artery-Disease-PAD_UCM_301301_Article.jsp#.WMdEQfkrK01
  2. Patient Information: Peripheral Arterial Disease and the Lutonix® 035 Balloon. (n.d.). Retrieved from http://loveyourlimbs.com/wp-content/uploads/2015/07/Lutonix-035-Patient-Guide-S120586-r1.pdf
  3. Kerr, D. (2012). Recognition of the signs of Peripheral Arterial Disease (PAD) and the evaluation of ulcers.Wound Practice & Research, 7.
  4. Ogrin, R. (2007). Review of podiatry relevant aspects of peripheral arterial disease in people with diabetes: part two -- management. Australasian Journal Of Podiatric Medicine, 41(1), 7-12.
  5. PAD: What can I expect? (2013). Retrieved from http://loveyourlimbs.com/what-to-expect/
  6. Let’s learn about vascular disease - Risk Factors. Retrieved from http://loveyourlimbs.com/pad-cli/
  7. Vascular Disease. (n.d.). Retrieved from http://cardiacspecialists.com/services-procedures/vascular-disease/
  8. Serrano Hernando, F. J., & Conejero, A. M. (n.d.). Peripheral Artery Disease: Pathophysiology, Diagnosis and Treatment. Retrieved from http://www.revespcardiol.org/en/peripheral-artery-disease-pathophysiology-diagnosis/articulo/13114115/
  9. Mohler, Emile R., and Alan T. Hirsch. 100 Questions & Answers about Peripheral Artery Disease (PAD). Sudbury, MA: Jones and Bartlett, 2010. Print.