Skip to main content

Câncer

Fatores de risco, prevenção e diagnóstico

Que fatores de risco aumentam suas probabilidades de ter câncer?

Existem várias coisas que aumentam seu risco de ter câncer.

  • Um histórico familiar de câncer — alguns cânceres são influenciados por sua genética
  • Exposição a determinados produtos químicos, determinadas toxinas e poluentes ambientais, além de radiação
  • Uma dieta desequilibrada e o consumo excessivo de álcool
  • Obesidade
  • Idade avançada
  • Queimaduras de sol, especialmente muitas queimaduras ao longo do tempo
  • Alguns vírus

O que você pode fazer para reduzir os riscos de ter câncer?

O câncer é muito comum — aproximadamente 40% dos adultos americanos serão diagnosticados com câncer em algum momento das suas vidas. É uma das principais causas de morte nos Estados Unidos e em todo o mundo. Embora não haja uma maneira absoluta de prevenir o câncer, existem muitas coisas que você pode fazer para ajudar a reduzir o risco de ter câncer:

  • Parar de fumar
  • Atingir e manter um peso saudável
  • Exercício
  • Comer alimentos saudáveis
  • Limitar o consumo de álcool a uma média de duas doses por dia (homens) ou uma dose por dia (mulheres)
  • Evitar queimaduras de sol e a exposição prolongada ao sol

O National Cancer Institute fornece uma visão geral da pesquisa sobre prevenção do câncer e sobre os estudos que estão sendo feitos atualmente para determinar novas maneiras de prevenir o câncer ou de diminuir a probabilidade de que você terá câncer.

Como o câncer é diagnosticado?

Quanto mais cedo for diagnosticado ou descoberto, melhor. Quando os médicos detectam o câncer mais precocemente, têm uma probabilidade maior de tratá-lo de forma agressiva e eliminá-lo por completo.

Uma vez que muitos sintomas de câncer não aparecem até que a doença esteja avançada, pode ser difícil detectá-lo precocemente. Para detectar câncer precocemente, faça o rastreamento regularmente com seu médico. Um **rastreamento de câncer** é simplesmente um exame completo para a detecção de câncer. Existem muitas diretrizes sobre tipos de rastreamento de câncer, quem deve ser submetido a eles e suas vantagens e desvantagens.

Após o rastreamento, seu médico poderá procurar outras opções para determinar melhor se você tem ou não câncer. Os médicos podem diagnosticar câncer de várias formas. Seu médico realizará um exame físico e analisará seu histórico familiar e, a seguir, poderá optar por executar um dos seguintes testes diagnósticos:

Exames laboratoriais

Pelo exame do sangue ou de outros fluidos, os médicos podem averiguar a presença de determinados elementos associados ao câncer. Esses exames laboratoriais não demonstrarão conclusivamente que você tem câncer, mas ainda poderão fornecer importantes evidências. Além disso, os exames laboratoriais são relativamente fáceis e têm preço acessível; portanto, eles frequentemente são usados antes de biópsias ou exames de imagem para ajudar a determinar se estes exames mais caros são necessários.

Exames de imagem

Existem diversas maneiras pelas quais os médicos podem examinar seu tumor para ajudar a descobrir se você tem ou não câncer. Essas maneiras incluem TC, cintilografia óssea, ultrassonografia, RM, radiografia, PET e exames de medicina nuclear. Dependendo do local do tumor e de outros fatores que o médico considere importantes, poderá ser necessária a realização de um desses exames. Em cada caso, o médico tentará determinar se o tumor é ou não canceroso. Esses exames são úteis porque não necessitam de elementos cirúrgicos e são "não invasivos".

Biópsia

Um procedimento de biópsia ocorre quando o médico coleta amostras de tecido da região que tem a probabilidade de ser cancerosa. O tipo de células cancerosas determinará se o médico deverá remover toda ou somente parte da região suspeita. Dependendo da localização das células cancerosas que tenham a atenção do médico, a biópsia pode ser conduzida com uma agulha, com um laparoscópio (pequena câmera que ajuda os médicos a ver o tumor) ou pela realização de cirurgia aberta, em que os médicos fazem uma abertura maior na pele e removem parte do tecido diretamente.

Em cada caso, você será anestesiado para ser submetido ao mínimo possível de dor e desconforto. Existem dois tipos de anestesia: local e geral. Na anestesia local, o paciente fica acordado, mas não sente dor, ao passo que, na anestesia geral, o paciente fica inconsciente e não sente nem se lembra do procedimento.

  • Para biópsias com agulha, muitas vezes é necessária somente anestesia local.
  • Para biópsias laparoscópicas, pode ser dada anestesia local ou geral.
  • Para biópsias cirúrgicas, é usada anestesia geral.

Após a biópsia, o médico envia as amostras de tecido ao patologista ou citologista para determinar se elas são malignas (câncer) ou benignas (não há câncer).


Referências